Principal alvo da polícia em operação nacional contra pedofilia é encontrado morto no CDP de Pinheiros

Sábado, 28 Outubro 2017 09:00 Publicado em SP Noticias Ler 170 vezes

Principal alvo da polícia em operação nacional contra pedofilia é encontrado morto em prisão

Suspeito foi encontrado morto no CDP de Pinheiros em SP. Ele foi detido com outras 24 pessoas. SAP vai investigar causa da morte.

 

O principal alvo da polícia de São Paulo em uma operação nacional contra pedofilia foi encontrado morto no CDP (Centro de Detenção Provisória) 2 de Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista. Ele era o único detido na operação que continuava preso.

A operação nacional contra a pedofilia ocorreu na última sexta-feira (20) e prendeu 25 pessoas em todo o estado. Dos 25 presos, 23 foram liberados após o pagamento de fiança, porque possuíam material pornográfico infantil arquivado nos computadores. Dois presos foram levados para a audiência de custódia por terem compartilhado o material. Um foi solto pelo pagamento de fiança.

Um dos detidos foi Sergio Roberto de Souza, considerado o principal alvo pela polícia, ficou preso porque o juiz considerou a situação dele mais grave. Ele foi encontrado morto no último domingo (22). O homem tinha 57 anos, nível superior e trabalhava como atendente de telemarketing.

Os agentes penitenciários contaram que foram informados por um detento que Sérgio Roberto de Souza estava no interior de uma ducha coletiva aparentemente sem vida.

Na casa do suspeito, foram encontradas revistas eróticas, brinquedos e um computador com vídeos e fotos de pornografia infantil. De acordo com a polícia, as imagens eram chocantes ao extremo.

Os arquivos eram compartilhados de forma automática para que alimentassem permanentemente uma rede mundial de computadores. Segundo a Polícia Civil, a morte do suspeito irá prejudicar as investigações.

O caso foi registrado como uma morte suspeita. A Secretaria da Administração Penitenciária disse que não havia sinais de lesões no corpo e que a causa da morte está sendo investigada.

 

fonte: G1