Greve Geral: novas categorias prometem parar em todo Brasil

Brasil vai parar contra o desmonte da Previdência e a reforma trabalhista

Centenas de categorias profissionais irão parar em todos os estados brasileiros contra o desmonte da Previdência e a destruição da CLT

Esta sexta-feira 28 de abril é dia de Greve Geral. Em todos os estados brasileiros, trabalhadores de centenas de categorias profissionais vão paralisar. Entre elas, servidores públicos estaduais e federais, metroviários, condutores, bancários, metalúrgicos, professores, petroleiros, aeroviários e aeronautas, funcionários dos Correios, da construção civil, do comércio e da saúde.

Setores expressivos que não aderiram às últimas paralisações vão participar na sexta-feira, aumentando a expectativa de que esta deve ser a maior paralisação dos últimos anos. Em São Paulo, por exemplo, além das escolas públicas, professores de mais de cem escolas particulares não vão trabalhar.

Aeronautas (pilotos e comissários de voo) também decidiram pelo estado de greve, e farão uma nova assembleia para decidir ou não pela paralisação nesta quinta-feira. Aeroviários de aeroportos de quase todas as capitais do Brasil também prometem cruzar os braços.

Tribunais do Trabalho também decidiram aderir à greve em apoio à luta contra a reforma Trabalhista.

Guardas civis e policiais civis de várias cidade do Brasil também vão parar. E vários prefeitos, como o de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, já liberaram o ponto facultativo para os servidores municipais. Já os trabalhadores dos Correios também interrompem suas atividades em ao menos nove estados.

A expectativa é de que este seja o maior ato de mobilização da classe trabalhadora brasileira desde a década de 1980, quando a disparada da inflação no governo Sarney e o Plano Cruzado conduziram o país a uma de suas maiores greves após a redemocratização.

“O dia 28 é o dia que a militância do PT tem que estar toda nas ruas convocando e organizando a greve geral”, afirmou o presidente da CUT, Vagner Freitas. “O PT é principal partido dos trabalhadores brasileiros e a greve geral será uma reviravolta na conjuntura de luta contra a retirada dos direitos. O PT é o maior partido de massas do país e tem que estar nas ruas com a CUT”, acrescentou ele.

Para o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS), “o Brasil infelizmente está parando pelo desgoverno Temer e por toda a crise gerada no país a partir da quebra das regras democráticas, do desrespeito ao voto do eleitor”. Para ele, quanto maior é a perda de legitimidade do governo atual, mais ele ataca os direitos dos trabalhadores e dos mais pobres.

“Precisamos de uma ação conjunta que mire neste objetivo: frear as antirreformas trabalhista e da Previdência, retomar o crescimento do país, mas acima de tudo, retomar a democracia brasileira com a antecipação de eleições gerais para presidente, para governadores, para deputados e senadores, porque o grande problema do Brasil foi a quebra da sua democracia”, declarou Fontana, conclamando: “Dia 28, todos nas ruas!”

O presidente do PT, Rui Falcão, defendeu em seu artigo semanal que “esta é uma semana decisiva para mostrar o descontentamento e a oposição do povo aos planos sinistros do governo usurpador”.

Na Paraíba, o arcebispo do Estado, Dom Manoel Delson, disse que “o povo não aceita a reforma da Previdência nos termos que estão anunciando, se existe mesmo necessidade de fazer a reforma da Previdência ela deve ir em outra direção, tirando daqueles que ganham fortuna em cima dos trabalhadores, de todos que pagam impostos”. Ele ainda convocou todos os trabalhadores à manifestação no dia 28 de abril. Arcebispos de todo o país têm convocado católicos a participar da luta contra a perda de direitos.

A CUT inclusive preparou um site especial com uma atualização constante dos preparativos para a greve geral na sexta. Abaixo, alguns destaques:

Atos pelo Brasil
Na cidade de São Paulo, ao menos 27 sindicatos já confirmaram paralisação. A Frente Brasil popular e a Frente Povo Sem Medo fazem um ato unificado com as centrais sindicais a partir das 17 horas no Largo da Batata, com caminhada até a residência pessoal de Michel Temer.

Metroviários e CPTM (trens urbanos), motoboys, trabalhadores da limpeza urbana, aeroviários do aeroporto de Guarulhos, trabalhadores em saúde, previdência e assistência social e petroleiros aderiram à greve. Pilotos e comissários de voo já decidiram pelo estado de greve, e confirmarão a paralisação em nova assembleia na quinta-feira.

Na Baixada Santista, estão previstas paralisações de portuários e rodoviários, o que deve afetar as atividades do Porto de Santos.

Os professores de escolas públicas e particulares também aderiram à greve na capital. Com isso, ao menos cem escolas particulares da capital vão paralisar.

No Rio de Janeiro já são 21 sindicatos confirmados na greve, incluindo petroleiros dos terminais de Ilha D’água e Ilha Redonda. Na capital carioca, o ato ocorre na praça Cinelândia, a partir das 17 horas.

Em Pernambuco, mais de 40 categorias confirmaram aderir à greve, como rodoviários, metroviários, aeroportuários, aeronautas, metalúrgicos, bancários, Polícia Civil, Servidores da Assembleia Legislativa de Pernambuco, professores das duas principais universidades públicas do Estado, servidores, professores da rede municipal e agentes penitenciários (veja aqui lista completa).

Em Mato Grosso, vão parar categorias como professores, bancários, servidores da saúde, agentes penitenciários e policiais civis.

Em Sergipe, 27 sindicatos das mais diversas categorias aprovaram apoio à paralisação nacional. Entre as categorias que aprovaram participação no protesto estão os bancários, auditores fiscais, servidores do Estado, trabalhadores da construção civil, enfermeiros, trabalhadores rurais de 74 municípios, servidores públicos de Indiaroba e trabalhadores da Assistência Técnica e Extensão Rural.

Na Bahia, pelo menos 13 sindicatos confirmaram presença, como policiais civis, bancários e servidores do Judiciário, entre outros. “É a nossa chance de impedir os retrocessos. Vamos parar o Brasil e dizer não às reformas”, afirmou o presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira.

A Paraíba terá a paralisação de ao menos 17 categorias. Em João Pessoa, capital do Estado, o ato está previsto para as 14 horas no Ponto Cem Réis, no centro da cidade.

Em Minas Gerais, a capital Belo Horizonte terá paralisação de mais de 30 categorias. Trabalhadores de todos os setores do transporte vão paralisar, assim como professores de escolas estaduais e privadas, e das principais universidades, como a PUC e a UFMG. Correios, bancários, frentistas, enfermeiros, polícia civil, petroleiros, economistas, construção civil, entre outros, também aderiram à greve.

Esquenta Greve Geral
28/04/2017
Dia 28 de abril será dia de Greve Geral para defender os direitos trabalhistas e a aposentadoria.O Portal da CUT trará um balanço de todas as atividades que acontecem e estão programadas até sexta (28)

São Paulo já amanhece tomada pelo clima de greve

A onda de adesão à Greve Geral amanhã, sexta- feira (28/4), está cada vez maior. Só na cidade de São Paulo 130 escolas particulares já anunciaram que estarão fechadas na sexta-feira. A paralisação está tomando conta do país e em todos os Estados da Federação os trabalhadores estão engrossando as fileiras da greve e dos protestos contra as Reformas Trabalhista e da Previdência. Em São Paulo, militantes dos movimentos sociais que fazem parte da Frente Brasil Popular preparam o cenário de convocação em vários pontos da cidade, com faixas e cartazes em locais de intensa circulação de pessoas, em viadutos, pontes e vias,para chamar a atenção dos moradores, em relação à chegada do dia em que trabalhadores e trabalhadoras vão cruzar os braços, em defesa dos seus direitos e contra o massacre de direitos do governo Temer.

Arcebispo de Porto Alegre defende Greve Geral

O arcebispo metropolitano de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, divulgou nota nesta quarta-feira (26) apoiando as paralisações da greve geral na próxima sexta. A greve em protesto contra reformas do governo federal na Previdência Social, na legislação trabalhista e com relação às terceirizações, já tem adesão de diversas categorias a nível nacional.

Na nota, Dom Jaime defende: “Diante das propostas que estão sendo apresentadas pelo governo federal, é fundamental que se ouça a população em suas manifestações. O povo tem o direito de ser ouvido. Reformas que incidem mais diretamente sobre a vida da maioria do povo precisam ser levadas adiante com muito discernimento. Importante que as reformas tenham sempre em consideração a inclusão social”.

(Informações do jornal Sul 21 / Foto: Nelson S. Pereira/Divulgação)

Votuporanga: OAB e Conselho de Pastores aderem à Greve Geral

A participação da comunidade de Votuporanga (SP) na mobilização nacional do dia 28 de abril ganhou força nesta quarta-feira (19/04). Durante a segunda reunião do movimento denominado de União Sindical de Votuporanga, na sede do Sindicato dos Bancários, representantes do Conselho de Pastores e da Ordem dos Advogados do Brasil – Votuporanga declararam apoio aos trabalhadores se comprometendo a aderir à passeata e endossar o grito de “Não às reformas: Trabalhista e Previdenciária.”

PI: Greve Geral promete parar a cidade de Oeiras na próxima sexta feira

Uma reunião que aconteceu na tarde desta segunda-feira (24) na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Oeiras, definiu o movimento de GREVE GERAL também na cidade de Oeiras que vai acontecer na próxima sexta feira (28) e promete parar a cidade em função da reforma da previdência que esta em trâmite no congresso nacional.

Durante a reunião ficou definida a concentração apartir das 8h da manhã na praça Costa Alvarenga, onde os manifestantes sairão em caminhada pelas ruas do centro histórico até as imediações da agência do INSS em Oeiras.

Em São Paulo, todas as linhas da CPTM vão parar na sexta-feira

Os trabalhadores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) decidiram aderir em massa à greve geral da próxima sexta-feira (28), contra a reforma da Previdência, a reforma trabalhista e a terceirização irrestrita proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB). Ficarão paralisadas, durante 24 horas, as linhas 9-Esmeralda (Grajaú-Osasco), 8-Diamante (Júlio Prestes-Itapevi), 7-Rubi (Jundiaí-Luz), 10-Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra), 11-Coral (Luz-Estudantes) e 12-Safira (Brás-Calmon Viana). Com essa definição, praticamente todos os trabalhadores do transporte coletivo da capital paulista – ônibus, metrô e trens – vão cruzar os braços.

Juiz escreve nas redes sociais que a Greve Geral poderia ser por tempo indeterminado

“Acabei de ler o Substitutivo ao PL 6.787/16 que trata da reforma trabalhista. Se pudesse resumir o que está acontecendo, eu diria que o direito do trabalho, como direito tutelar, deixará de existir. Se a natureza tutelar deixa de existir, o próprio direito do trabalho perde o sentido. Todas as propostas foram elaboradas claramente com o intuito de defender os interesses do capital. Não se trata apenas de uma “molecagem” com o direito do trabalho, como pontuou de forma espirituosa um valoroso colega magistrado, nosso amigo aqui no Facebook. Trata-se da aplicação do aspecto mais perverso do neoliberalismo que é a redução do trabalhador a um ser isolado, numa luta infindável pela sobrevivência, de todos contra todos. Se a classe que vive do trabalho tivesse a noção do que está para acontecer essa greve geral do dia 28 seria por tempo indeterminado.”

Andre Machado, juiz da 6a. Região e membro da Amatra 6a. Região

Irmãs Missionárias do Sagrado Coração de Jesus declaram apoiam à Greve Geral

As Irmãs Missionárias do Sagrado Coração de Jesus compõem uma importante instituição católica, presente em 15 países, que engloba também a Rede de Educação Cabriniana, da qual faz parte o Colégio Madre Cabrini, de São Paulo. No Brasil, diante da crise, as irmãs adotaram uma postura corajosa. expressa em um manifesto público reproduzido a seguir:

As Irmãs Missionárias do Sagrado Coração de Jesus pautadas pela ética Cristã, pelas orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Conferência de Religiosos do Brasil (CRB/Nacional) e dos valores cabrinianos da justiça e da solidariedade, apoiamos as organizadas para o próximo dia 28 de abril de 2017, contra a Reforma da Previdência, Reforma Trabalhista e o Projeto de Terceirização aprovado pela Câmara dos Deputados. Por esta causa, comunicamos nossa adesão à paralisação a ser realizada no dia 28 de abril de 2017.

Em Pernambuco o bicho vai pegar no dia 28

A CUT-PE convoca toda população a seguir firme contra as injustiças que o governo Michel Temer quer impor. Vamos dar uma grande resposta as arbitrariedades cometidas pelo atual governo, nos unindo cada vez mais e caminhando juntos para uma Greve Geral no próximo dia 28 de abril.

Todo mundo para em Mato Grosso

Professores, bancários, servidores da saúde, agentes penitenciários e policiais civis são alguns do profissionais em Mato Grosso que devem aderir a mobilização nacional e paralisar suas atividades na próxima sexta-feira (28).

No ABC paulista, rodoviários aderem à greve no 28/04

Os rodoviários do ABC paulista aprovaram em assembleia realizada nesta terça (25) a participação da categoria na Greve Geral. Segundo o Sindicato dos Rodoviários do ABC (Sintetra/CUT), a paralisação será de 24 horas e atingirá cerca de 130 linhas de ônibus em Santo André, São Bernardo, São Caetano, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Diadema, da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU).

Centrais preparam a Greve Geral no Ceará em plenária unificada

CSB, UGT, CTB, CSP-Conlutas, CUT, Intersindical, Força Sindical, Nova Central, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo reunidas em plenária sindical na sede da CUT-CE, em Fortaleza. Na plenária, entidades definem as mobilizações para a Greve Geral do dia 28/4.

Direção do TRT da 3ª Região (MG) suspende atividades em 28/04

Presidente e Corregedor do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região assinam portaria conjunta suspendendo as atividades na jurisdição do TRT..

Trabalhadores da metalúrgica Samot, em São Bernardo do Campo (SP), decidem parar no 28/4.

Os trabalhadores na Samot, em São Bernardo do Campo (SP), também participaram de assembleia na tarde desta terça-feira, 25. A categoria está mobilizada para a Greve Geral que será realizada na próxima sexta-feira, 28, contra as reformas trabalhista e da previdência, além da lei da terceirização, propostas pelo governo de Michel Temer.

Em Sergipe, prefeito dá ponto facultativo em apoio à Greve Geral

O prefeito de Porto da Folha, em Sergipe, Miguel de Dr. Marcos, faz declaração de apoio à Greve Geral dizendo ser contra a reforma da previdência, reforma trabalhista e terceirização. E ainda decretou ponto facultativo no dia 28. Mandou bem…

Agenda de Lutas
Como a Reforma Trabalhista teve o regime de urgência aprovado e deverá ser votada já na quarta-feira (26) em plenário, as centrais sindicais organizaram uma agenda de lutas para toda a semana, começando nesta terça-feira (25). Confira:

Quarta-feira (26/4)

Vigília na Câmara dos Deputados

Sexta-feira (28/4)

Greve Geral

Segunda-feira (1º/5)

Manifestações em todo o Brasil pelo Dia do Trabalho

Terça-feira (2/5)

Ocupa Brasília – Concentração com acampamento e manifestações permanentes no Congresso Nacional contra a subtração de direitos e a precarização do trabalho e contra o desmonte da Previdência Pública.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Compartilhe!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário