Cervejaria fluminense de R$ 200 milhões será instalada em Três Lagoas em 2018

Um grupo empresarial do Rio de Janeiro vai investir R$ 200 milhões na instalação de uma fábrica de cerveja em Três Lagoas. A informação é da Caçula FM que obteve informações com fontes próximas ao investidor nesta quinta-feira (20).

De acordo com uma fonte, o projeto da obra será elaborado nos moldes de uma cervejaria que está em fase final de instalação em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. A construção foi iniciada em maio de 2016, deve entrar em operação definitiva em dezembro e empregar 250 trabalhadores.

A instalação da fábrica em Três Lagoas é negociada desde o ano passado, mas esbarrou, até agora, na disposição de área suficiente e com localização à margem de um rio e de rodovia, segundo a mesma fonte. A negociação teria progredido, nos últimos dias, com a definição de um terreno de 185 mil metros quadrados e nos moldes exigidos pela indústria, especialmente por ser próximo à rodovia BR-262.

Procurado nesta quarta-feira (19), o secretário de Desenvolvimento, Antonio Empke Júnior, confirmou a negociação, mas não adiantou detalhes. Disse apenas que o prefeito Ângelo Guerreiro (PSDB) deve se reunir com o empresário “em breve” para outras definições.

Outra fonte consultada pela reportagem informa que a prefeitura teria disposição de “participar da preparação do terreno (terraplanagem) e conceder benefícios fiscais para a execução do projeto civil (construção), com base na mesma legislação que beneficiou empresas na instalação das fábricas de celulose”. Antonio Empke não confirma.

Segundo a Caçula FM, o mesmo grupo foi convidado a estudar propostas semelhantes em Campo Grande e em Dourados.

CADEIA PRODUTIVA

A mesma fonte informou que uma fábrica de embalagens para bebidas e um fabricante de máquinas para indústrias de alimentos sinalizaram intenção de instalar filiais em Três Lagoas com a chegada da cervejaria. Somados, os investimentos passam de R$ 400 milhões, com possibilidade de geração de 700 empregos diretos.

Anúncios de doações de terrenos e isenção, entre outros benefícios, devem ser feitos no último trimestre do ano.

A reportagem firmou compromisso com os interlocutores de não constar nomes, símbolos ou nenhuma identificação das empresas envolvidas.

fonte: Radio Caçula

Compartilhe!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário