Agentes flagram visitantes tentando entrar com drogas e celulares nos presídios de Lavínia e Riolândia

Em Riolândia e Lavínia, foram apreendidos microcelular e celular – relógio, além de drogas

Mais um fim de semana se passou e, mais uma vez, agentes impediram a entrada de drogas e celulares em presídios em todo o estado. Entre as apreensões, microcelulares e celulares – relógios foram destaques entre as 22 ocorrências notificadas.

Na maioria dos casos, a maneira de ocultar os ilícitos foi por meio dos genitais, mas também tentaram passa-los escondidos na comida trazida pelos visitantes para os presos ou ocultos na vestimenta. Nada, porém escapa à vigilância dos agentes.

Em todos os casos, as visitantes foram levadas para delegacias de Polícia para elaboração de Boletim de Ocorrência, além de serem suspensas do rol de visitas. Os presos que receberiam os ilícitos foram isolados preventivamente, além de responderem a Procedimento Apuratório Disciplinar.

Na Penitenciária de Riolândia, foram duas apreensões. No sábado, 10, uma visitante, esposa de sentenciado da unidade, acionou o detector de metais. Ao ser indagada, revelou que portava um celular em seu órgão genital, retirando um invólucro contendo um aparelho celular tipo relógio.

No domingo, outra visitante, companheira de reeducando, também acionou o portal detector de metais. Dessa vez o invólucro também oculto no genital continha quatro fones de ouvido e uma porção de maconha.

Também na região, agora na Penitenciária II “Luis Aparecido Fernandes” de Lavínia, um micro celular foi localizado no domingo, 11: a esposa de sentenciado da unidade acionou o banco detector de metais. A revista acabou revelando um aparelho micro celular oculto nos genitais.

fonte: SAP

Compartilhe!

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário